domingo, 23 de agosto de 2015

Dor

Sofro quando a dor me dói,
também sofro quando a vejo
em alguém a mostrar que dói,
é a mesma dor,
e agora sinto-a, vejo-a,
quase a beijo,
é a dor a massacrar a matéria
de que é feito
o ser humano, um ser que discerne,
mas que é feito de carne perecível,
amarga, efémera,
frágil,
é carne que dói, e que dói ainda mais
quando quer perecer na primavera